Os pés das lagartixas, a principal fonte de inspiração de todos os cientistas que lidam com adesivos, ganharam um novo concorrente com a demonstração de um adesivo feito com nanotubos de carbono que é 10 vezes mais eficiente do que o adesivo natural encontrado nos pés desses animais e capaz de sustentar seu peso suspenso no teto.

Força de adesão

Pesquisadores do Instituto de Tecnologia da Geórgia, nos Estados Unidos, sintetizaram o novo material que se mostrou capaz de criar uma força adesiva anisotrópica – que varia direcionalmente.

O filme, feito com nanotubos de carbono, tem uma força adesiva três vezes maior do que o recorde anterior e 10 vezes maior do que a adesão dos pés das lagartixas. Mesmo com essa força toda, o adesivo é reversível e reutilizável, soltando-se facilmente com uma pequena força aplicada numa direção determinada.

Além das utilizações tradicionais de todos os adesivos, o novo material deverá ser importante no desenvolvimento de robôs de pequenas dimensões capazes de se locomover sobre qualquer superfície, inclusive andando pelas paredes ou pelo teto.

Forças de van der Walls

Quando pressionados sobre uma superfície, os nanotubos de carbono vergam-se, ampliando enormemente a área de contato e maximizando a ação das forças de van der Walls, que ocorrem em escala atômica.

Quando o material é puxado na direção paralela ao corpo principal dos nanotubos, somente as pontas dos nanotubos permanecem em contato com a superfície, minimizando as forças de atração e permitindo que o adesivo se solte.

Nos testes – feitos em vidro, plástico, Teflon e até em lixas d’água – os pesquisadores mediram forças de adesão de até 100 Newtons por centímetro quadrado.

Texto da Redação do Site Inovação Tecnológica de 05/02/2009. Esta reprodução foi autorizada pelo autor.