carlos-cruzLíderes são o principais responsáveis pela visão de futuro e o planejamento estratégico de sua unidade, seja ela um centro de custos ou mesmo a empresa como um todo. Somente com autoconhecimento, responsabilidade, visão, coragem para inovar e capacidade para trabalhar em prol de “um sonho” (ou meta mesmo), é que se pode ter a cabeça nas nuvens mantendo os pés no chão! Veja o texto de Carlos Cruz nesta linha de pensamento e seja um líder melhor!

Nota: este tipo de atitude serve tanto para a vida profissional quanto para a pessoal. Pense nisso!

O autoconhecimento é a chave para o sucesso. Quanto mais você conhecer a si mesmo, mais você conseguirá conhecer as pessoas ao seu redor.

Para crescer profissionalmente é preciso iluminar a organização e a equipe de trabalho para encarar de frente as verdades. Sei que às vezes parece não valer a pena enxergar um problema para não se sentir desconfortável. E sei também, que há momentos em que o autoconhecimento gera um desconforto. Porém, esse desconforto é necessário para gerar uma mudança.

Existem indivíduos que não atingem os resultados idealizados porque se esquecem de encarar a realidade.

Lembro-me do Sr. Rodrigo, um homem muito simpático e aparentemente muito realizado profissionalmente que vendia Dvd`s com um entusiasmo fora do comum. Suas habilidades como vendedor me chamaram a atenção e após uma longa conversa acabamos nos tornando amigos. Passados alguns meses, encontrei-o novamente e, papo vai, papo vem, descobri que por trás daquela alegria havia uma insatisfação pela carreira e pela sua situação financeira atual.

Diante disso, perguntei “Como você tem usado o seu talento para conseguir o dinheiro necessário para sanar as suas dívidas?”

Ele deu muitas justificativas, entre elas, disse que o seu emprego não lhe dava perspectivas de crescimento e que a situação era complicada. Depois de muitas justificativas, perguntei “Quanto você precisa para sanar as suas dívidas?” Ele demorou a responder e percebi que nem ele sabia o montante necessário.

Resumindo o fato, ele desistiu de encarar a realidade. Ficava apenas vivendo com base no idealizado e nada acontecia. Após algum tempo, tive notícias de que ele encarou a realidade e entrou em ação.

Quantas pessoas que você conhece se encontram nessa situação, reclamando da situação atual sem se esforçarem para ter consciência do que realmente está acontecendo? Não me interessa como é a sua insatisfação, nem o seu desafio. O que interessa é o que você tem aprendido com isso e como você tem enxergado a sua realidade.

Siddartha Gautama, o homem que se tornou o Buda, morreu aos 80 anos e quando se achava em seu leito de morte, um dos últimos conselhos que deu a seus discípulos foi:

“Sejam lâmpadas para si mesmos”.

Encontrar a saída para as insatisfações e para os desafios é como abrir o porão de uma casa bem antiga e começar a limpar as antigüidades, é encontrar um recurso que já serviu algum dia na sua vida. Como por exemplo, a vontade de dar o primeiro passo. Mesmo caindo, você teve a coragem de tentar novamente e recomeçar. Às vezes é preciso recomeçar.

É fundamental iluminar a sua realidade hoje, seja ela satisfatória ou insatisfatória. Mesmo que tudo esteja bem, não se esqueça de manter a atenção para permanecer nesse ritmo.

Siddartha Gautama, filho do rei Suddhodana e da rainha Maya, nasceu e cresceu confinado no palácio imperial, em meio ao luxo, ao poder e aos prazeres sexuais, sem conhecer a miséria e o sofrimento daqueles que viviam além dos portões do palácio. Mas o jovem príncipe era perspicaz, e ouvia os comentários que se faziam sobre a dura vida fora dos portões de sua morada e resolveu descobrir por que as referências ao mundo de fora pareciam ser, às vezes, carregadas de tristeza.

Ao atravessar a cidade, Siddartha se detém diante da realidade da velhice, da doença e da morte. Chocado e em profunda crise existencial, abandona tudo e inicia sua jornada à procura de uma solução para o sofrimento humano. Depois de seis anos de busca infrutífera, acompanhando mestres e professores das mais diferentes crenças e disciplinas, ele compreendeu que nunca encontraria o que estava procurando nos regimes espirituais de nenhum guru. Ele tinha de olhar para dentro de si mesmo. Assim, sentou-se sob a proteção de uma figueira, em um local hoje conhecido como Buda Gaya, e decidiu não se mover dali até ver a luz. Foi ali que Siddartha Gautama se tornou o Buda, “o iluminado”, termo derivado da palavra páli budh, que significa “estar desperto”.

Sob aquela árvore, Buda despertou para a compreensão de que a única fonte constante de iluminação é a luz interior. Quem busca o sucesso profissional precisa descobrir o caminho por si só. O primeiro passo para esse caminho é a compreensão de que o que nos mantém na escuridão ou nos ilumina está em nossa mente.

“Somos o que pensamos”.

Comece a pensar verdadeiramente na sua realidade hoje. Não escape, encare-a de verdade. Você será grato a isso. Se você não enxergar a sua realidade, dificilmente crescerá na vida. Entretanto, é importante você pensar o que idealiza para o futuro e assim, manter a cabeça nas nuvens com os pés no chão, tocando a realidade.

O pior inimigo do ser humano não pode prejudicá-lo tanto quanto a própria forma de pensar e enxergar a realidade. A mente é como uma nascente que não para de jorrar água. Por isso, direcione seus pensamentos para encarar a realidade. Logo em seguida, direcione os seus pensamentos para o que você idealiza. Depois, direcione os seus pensamentos para trabalhar na estratégia de levar você da sua realidade de hoje para aonde deseja chegar. E por fim, entre em ação!

Lembre-se: Buda compreendeu que os pensamentos criam a sua própria realidade e por isso são tão poderosos e tão perigosos.


Texto de Carlos Cruz: Coach Executivo e de Equipes, Conferencista em Desenvolvimento Humano e Diretor da UP TREINAMENTOS & CONSULTORIA. Ministra palestras e treinamentos focados no desenvolvimento humano, abordando temas como: criatividade, relações humanas no trabalho, atendimento ao cliente, liderança, coaching, motivação, comunicação, empreendedorismo, vendas e negociação. www.carloscruz.com.br. Este post foi autorizado pelo autor.