marcelo-ortegaSua empresa tem a “Inteliderança” de equipes?
Inteliderar” é aplicar inteligência no comando de uma equipe, fazendo com que a freqüente falta de resultado se transforme em presença, que o empenho se transforme em desempenho e sobretudo, quie exista assertividade maior nos planos e ações.

Quem acerta mais do erra tem sucesso, isso é fato! Mas como iremos prever o erro? Como iremos acertar mais e mais? Isso é definitivamente uma questão de preparo. Sorte é questão de preparação associada a oportunidade e portanto, uma pessoa que estuda, planeja, age mais estratégicamente, tende a ser uma pessoa cheia de sorte.

Segundo o autor do livro “O princípio 80/20 – o segredo de realizar mais com menos”, Richard Kock, o esforço de muitos líderes não condiz com seu resultado por que a maioria de suas ações frutos de improviso e falta de planejamento e preparação. Segundo a lei de pareto, mais antiga que este livro, 20 % de uma equipe faz 80% do resultado.

Isso é um problema gigantesco e promove a diluição do lucro da empresa no mesmo solvente que diluí a incompetência da maioria. O líder inteligentemente capaz de minimizar essa equação aproximando o time do meio dos que estão no nível mais alto, sabe que precisa ser mais altivo, assertivo e cognitivo, isto é, estar trabalhando de perto com todos, olhando os que menos produzem, criando estímulos e regras que promovam uma incessante melhoria e mudança comportamental nos seus.

A Inteliderança se faz com as 03 chaves a seguir:
Cognição é o ato ou processo de conhecer, que envolve atenção, percepção, memória, raciocínio, juízo, imaginação, pensamento e linguagem. A palavra cognição tem origem nos escritos de Platão e Aristóteles.
É preciso ser mais que um gerente que manda e exige resultado. Em vendas, o desafio está na verdadeira transformação dos 80% de uma equipe que ficam abaixo da meta, nao mudam e correm riscos sérios de demissão, exclusão o pior, quando praticam mal o atendimento ao bem mais valioso da empresa, o cliente.

O líder inteligente age de perto, percebendo a performance de cada um de sua equipe e treina, ensina, educa.
Monitoração – fazer com que os intervalos entre uma semana e outra nao passem em branco. Cada nova semana é tempo de monitorar, perceber desvios e medir avanços. As metas devem ser divididas em partes menores, semanais, diárias se for o caso.

E por fim, Provocação: Como sempre digo, ninguém pode motivar você se não quiser isso. A automotivação prevalece nos que atingem resultados, nos 20% de uma equipe. Os outros 80% precisam ser provocados a agirem, sair da zona de conforto em que se encontram, se é que é confortável ter que amargar resultados medíocres explicar sempre o motivo por que nao vendem ou atingem melhores metas.

Estas três chaves da inteliderança, conceito que tenho disseminado em meus treinamentos, palestras e livros, valem para qualquer um que está a frente do comando empresarial.

Se procura ser um líder inteligente mais e mais, deve antes de obter a funçao, dotar-se de uma certeza de que precisará de envolvimento, recohecimento e direcionamento de seus liderados, pois do contrário será apenas um tirano que exige e critica, sem reter ou desenvolver os talentos que sua empresa necessita.


Marcelo Ortega
Palestrante, autor de Sucesso em Vendas e Inteligência em Vendas, um dos mais requisitados conferencistas do Brasil, consultor e treinador empresarial há 10 anos. Assistido por mais de 200.000 pessoas, é colunista das Revistas Ser Mais e Vendas Mais e articulista de rádio, programa Transnotícias – Transamérica FM. Tem atuação em diversas empresas brasileiras e ministrou palestras em Portugal/ Espanha, Paraguai e Argentina. Oferece treinamentos e palestras personalizadas com foco em desenvolvimento em Vendas, Negociação, Atendimento, Motivação e Liderança Gerencial de Equipes.
www.marceloortega.com.br